Cinema Ambiental

Cicatrizes numéricas

CICATRIZES NUMÉRICAS

(Clique no título do filme e assista)

Filme produzido de forma colaborativa no Curso de Cinema Ambiental com estudantes da UFRJ (Macaé), Unirio (Rio de Janeiro) e Universidad del Tolima (Colômbia).

Demonstra os diversos olhares sobre a comunidade do Bairro Lagomar em Macaé-RJ ressaltando os diversos atores humanos e não-humanos na arena socioambiental. Ressalta como a hegemonia da indústria petrolífera invisibiliza a comunidade e degrada o meio ambiente.

Anúncios

II Seminário Nacional das Mulheres: Agroecologia e Bem-Viver

“O II Seminário Nacional de Mulheres terá como tema Agroecologia e bem viver e acontecerá entre os dias 24 a 26 de novembro de 2017. Esse II seminário pretendemos aprofundar as questões que dizem respeito à experiência das mulheres no Campo, nas Aguas e na Floresta para isso o tema do seminário não seria mais apropriado que esse. Nosso objetivo é mobilizar mulheres oriundas desses territórios em especial as Mulheres da Floresta Nacional de Tefé para refletir e debater suas experiências com a agroecologia e as “teceduras do bem viver”.”

 

Saiba mais no site:

http://www.mulher.site/home

Carta de apoio

O GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL DESDE EL SUR MANIFESTA SEU TOTAL APOIO E SOLIDARIEDADE À PROFESSORA DOUTORA ISABEL CARVALHO (PPGEdu/ PUCRS) REFERÊNCIA PARA O CAMPO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DE RECONHECIMENTO INTERNACIONAL.

MANIFESTAMOS AQUI NOSSA PREOCUPAÇÃO, INDIGNAÇÃO E REPÚDIO COM SUA DEMISSÃO E EXPRESSAMOS NOSSA SOLIDARIEDADE.

 

ASSINE AQUI A CARTA QUE SERÁ ENTREGUE A PUCRS

https://secure.avaaz.org/po/petition/Comunidade_Academica_alunos_professores_e_pesquisadores_Carta_de_repudio_a_demissao_da_Profa_Isabel_Carvalho_PPGEduPUCRS/?fzCNhmb&pv=8&utm_source=sharetools&utm_medium=facebook&utm_campaign=petition-435125-Comunidade_Academica_alunos_professores_e_pesquisadores_Carta_de_repudio_a_demissao_da_Profa_Isabel_Carvalho_PPGEduPUCRS&utm_term=zCNhmb%2Bpo

Manifestação de repúdio

A COMUNIDADE DE PESQUISADORES DO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL DESDE EL SUR MANIFESTA SEU APOIO TOTAL À UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA (UNILA) E REPUDIA OS ATAQUES SOFRIDOS, RECONHECENDO A EXCELÊNCIA ACADÊMICA E A IMPORTÂNCIA DA UNILA NO CENÁRIO NACIONAL E INTERNACIONAL.

PARTICIPE DO MOVIMENTO EM DEFESA DA UNILA:

http://peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR100837

 

ASSINE PARA APOIAR O RESPEITO A AUTONOMIA DA UNILA:

https://secure.avaaz.org/po/petition/Juiz_da_2a_Vara_Federal_de_Foz_do_Iguacu_Respeitar_a_autonomia_universitaria_na_UNILA/?pv=3

 

SAIBA MAIS SOBRE A UNILA E APOIE:

https://www.unila.edu.br/

 

 

Curso de Extensão Educação Ambiental de base comunitária e Ecologia Política

Nossa próxima aula do curso de extensão “Educação Ambiental de base comunitária e Ecologia Política” tem como tema o racismo ambiental. Será ministrada por Tânia Pacheco, jornalista do site combate ao racismo ambiental (http://racismoambiental.net.br/). Como convidada, Lúcia Xavier, do movimento Crioula

Local: Auditório do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia – CCET na UNIRIO. Av. Pasteur, 458 – Urca.

 

Aproveitamos para compartilhar com vocês a bibliografia sugerida na aula anterior

  • Link para livro “Identidades da Educação Ambiental brasileira”

http://www.mma.gov.br/estr…/educamb/_arquivos/livro_ieab.pdf

  • Livro Pensamento Ambientalista numa sociedade em crise, de 2015.

https://geasur.wordpress.com/2016/03/04/livro-pensamento-ambientalista-numa-sociedade-em-crise/

 

Contamos com a sua presença!

 

Curso de Extensão em Educação Ambiental de Base Comunitária e Ecologia Política

Educação Ambiental de Base Comunitária e Ecologia Política.png

Educação Ambiental de Base Comunitária e Ecologia Política

INFORMAÇÕES

INSCRIÇÕES

CLIQUE AQUI PARA REALIZAR SUA INSCRIÇÃO

OU ACESSE O LINK

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeAJxnTmyXuhEFTeyXnqV0h9IvIeEqrxAngk72wEOMEseLdCw/viewform

 

DESCRIÇÃO DO CURSO

O Curso de Extensão em Educação Ambiental de Base Comunitária e Ecologia Política é fruto do projeto de extensão, ensino e pesquisa do Grupo de Estudos em Educação Ambiental desde el Sur (GEASur), que se concentra em estudar práticas pedagógicas de Educação Ambiental emergentes das lutas populares, movimentos sociais, populações tradicionais, povos indígenas e grupos em situação de vulnerabilidade socioambiental no cenário latino-americano.

O GEASur reafirma e se inspira em Paulo Freire, seus ideais e princípios, procurando construir pesquisas, investigando as pedagogias presentes dos conflitos ambientais, em diálogo com mestres da sabedoria popular. Como referencial teórico, o GEASur assume as perspectivas da Interculturalidade e Decolonialidade; Educação Ambiental Crítica; Educação Ambiental de Base Comunitária; Educação Popular; Justiça Ambiental; Racismo Ambiental; Ecologia Política; Geopolítica e Meio Ambiente na América Latina.

Considerando a necessidade de trabalhar com as questões que compõem as áreas temáticas elencadas, pretende-se, a partir do Curso de Extensão em Educação Ambiental de base comunitária e Ecologia Política, proporcionar aos estudantes, profissionais das áreas relacionadas à Educação, Meio Ambiente e afins, lideranças comunitárias, militantes organizados, ou não, em movimentos sociais, um processo de formação em Educação Ambiental de base comunitária sob a perspectiva da Ecologia Política, visando construir um processo de ensino/aprendizagem que favoreça o desenvolvimento de uma visão crítica sobre as relações sociedade/natureza de maneira dialética a fim de contribuir com a práxis educativa.

A presente proposta foi construída com o propósito de unir um acadêmico e um representante de movimento social e/ou população tradicional em cada aula, buscando desta forma suscitar debates entre pesquisadores e movimentos sociais sob a perspectiva da Ecologia de Saberes, com vistas a promover o inter-relacionamento entre os diversos campos de conhecimentos e trazer para o âmbito estrutural do curso, a essência do GEASur.

“Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes.”

Paulo Freire

OBJETIVOS DO CURSO:

– Promover reflexões acerca da Educação Ambiental nos espaços formais e não-formais, valorizando a Educação Popular e de base comunitária como fontes de conhecimentos e pesquisas;

– Instrumentalizar sujeitos que atuam no campo da Educação Ambiental e Educação Popular para uma atuação crítica e transformadora nos diversos espaços educativos.

– Propor e avançar nos debates sobre qual papel da Educação Ambiental no contexto dos Grandes Projetos de Desenvolvimento (GPD´s) na América Latina que resultam em conflitos e situações de injustiças ambientais sob o viés epistemológico da Ecologia Política.

– Suscitar debates entre pesquisadores e movimentos sociais no que tange a construção de uma proposta pautada na perspectiva da Ecologia de Saberes, com vistas a promover o inter-relacionamento entre os diversos campos de conhecimentos.

– Apresentar a perspectiva da Educação Ambiental desde el Sur desenvolvida pelo GEASUR/UNIRIO, de forma a consolidar trocas de experiências com outros grupos de pesquisas no campo da Educação.

 

ESTRUTURA GERAL:

  • Título do curso: Educação Ambiental de Base Comunitária e Ecologia Política
  • Modalidade: Presencial
  • Período de realização: 20, 27 de Maio, 03, 10, 24 de Junho de 2017
  • Carga horária: 25 h (cinco aulas com 5h/aula)
  • Horário: 14h às 19h
  • Local: CCH / UNIRIO

 

PROGRAMAÇÃO

Programação

 

BIBLIOGRAFIA

ACSELRAD, H.; MELLO, C.C.A; BEZERRA, G.N. .O que é Justiça Ambiental. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

BRANDÃO, C. R.Paulo Freire – o menino que lia o mundo. Editora da Unesp, São Paulo, 2005.

__________. O que é educação popular. São Paulo : Brasiliense, 2006.

DUSSEL, E. 1492: El encubrimiento del otro : hacia el origen del mito de la modernidad . La Paz. Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación Plural Editores, 1994.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

__________. Pedagogia da Esperança: reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

GUIMARÃES, M.(1995). A dimensão ambiental na educação. Campinas: Papirus.

GROSFOGUEL, R. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista Critica de Ciências Sociais, n. 80, p. 115-147, 2008.

ESCOBAR, A. Mundos y Conocimientos de Otro Modo: El programa de investigación de Modernidad/Colonialidad latinoamericano. Tabula Rasa. Bogotá, No. 1, pp. 51-86, 2003.

LAYRARGUES, P.P.; LOUREIRO, C.F.B.. (2013). Ecologia política, justiça e educação ambiental crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica. In: Trabalho, educação e Saúde. Rio de Janeiro, v.11.n.1,p.53-71,jan./abr.

LOUREIRO, C.F.B . Educação Ambiental Transformadora. In: BRASIL. Ministério da Educação. Diretoria de Educação Ambiental. Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília, 2004.

LOUREIRO, C.F.B; SANCHEZ, C.P; ACCIOLY,I.B; COSTA, R.N. Pensamento Ambientalista numa sociedade em crise. Macaé: NUPEM/UFRJ, 2015

MARTINEZ-ALIER,J.. O ecologismos dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração / tradução: Maurício Waldman. 1.ed. 2˚ reimpressão. São Paulo: Contexto, 2011.

PACHECO, T. FAUSTINO, C.. A iniludível e desumana prevalência do racismo ambiental nos conflitos do mapa. In: Injustiça ambiental e saúde no Brasil: o mapa de conflitos. /organizado por Marcelo Firpo Porto, Tania Pacheco e Jean Pierre Leroy. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2013.

 

QUIJANO, A. (2000). “Colonialidad del Poder, Eurocentrismo y América Latina”, In: Lander, Edgardo (Ed) La Colonialidad del Saber: Eurocentrismo y ciencias sociales. Perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires. CLACSO, 2000.